O MISTÉRIO DE E.T. CLINT (1976-1983)

16 fev

Edmund Thomas Clint.

Edmund Thomas Clint nasceu em Kochi, no sul da Índia, filho de Chinnamma Joseph e de Thomas Joseph. Os pais eram pessoas simples que deram ao filho o nome de Clint em homenagem ao ator preferido do pai, Clint Eastwood.

Clint praticamente nasceu desenhando. Ainda bebê começou a rabiscar o chão, desenhando círculos perfeitos. Com um ano de idade observou o artista Mohanan, amigo do pai, trabalhando num cavalete e passou a imitá-lo, usando as paredes da casa como grandes cavaletes. Sua mente parecia inundada com ideias e ele produzia cerca de 100 desenhos por dia.

Os pais do garoto, sem nenhum conhecimento de arte, não deixavam de incentivar o filho. Thomas comprou-lhe da fábrica um conjunto de lápis de cor com 75 tons. Logo Clint passou a desenhar flores e pássaros, depois paisagens, carros, aviões e, finalmente, personagens mitológicos. Ao ver suas pinturas, um artista recomendou aos pais do menino que o deixassem desenhar à vontade, pois “ele tinha algo a dizer”.

As obras do garoto pareciam incluir todas as escolas de pintura: do classicismo ao abstracionismo. Ele desenhava sem parar, durante horas seguidas. Clint também possuía um insaciável interesse científico: estudava anatomia para reproduzir a natureza o mais fielmente possível em seus desenhos, que receberam diversos prêmios.

Os pais de Clint leram para ele toda a mitologia indiana c mundial, cujos episódios o menino desenhava com admirável capacidade imaginativa. O pai providenciava tintas e lápis de cor, e deu-lhe também cinco mil caixas de papelão onde ele podia desenhar e dar asas à sua imaginação, que parecia devorar toda superfície branca com seus sonhos coloridos.

Edmund Thomas Clint - O peixe-leão.

Chinnamma, apaixonada pelas ciências naturais, leu para o filho a história do famoso ornitólogo Dr. Salim Ali. Clint ficou inspirado e passou a observar as aves com mais fascínio ainda. Doente desde os três anos, Clint pediu ao pai que lhe comprasse um binóculo para que pudesse observar os pássaros da janela do quarto.  O pai comprou-lhe um binóculo barato no bazar da Igreja e Clint passava horas a observá-los e a desenhá-los.

Edmund Thomas Clint - O periquito solitário.

Clint também tinha uma profunda relação com o pôr do sol e era sua rotina espreitar o crepúsculo da janela do quarto para admirar a infinidade de suas cores. Perguntava então ao pai: “De onde vêm todas essas cores? Como o céu e o sol realizam essa façanha todas as noites?”.

Um dos amigos de Clint apanhou um periquito e deu-lhe de presente. Sua alegria foi imensa. Ele o observou durante toda uma noite para desenhar seus movimentos. E depois pediu à mãe, de manhã, que soltasse o passarinho. Ela o fez e ele ficou extasiado ao ver seu voo livre.

Na manhã seguinte, o pai Joseph comprou-lhe um par de pombinhos. Clint observou-os de todos os ângulos para fixar em sua mente tudo o que podia sobre aquelas aves. Mas não queria mantê-las em cativeiro. Então pediu ao pai que lhe comprasse um novo par de pombinhos a cada duas semanas para que pudesse libertar o velho par. Seu pai concordou, e fez acordos com lojas de animais de estimação para um suprimento constante de pombos e comida de passarinho.

Clint observava atentamente a natureza para recriá-la em seus desenhos e pinturas. Mas suas obras não eram meras cópias do que via, e sim interpretações muito pessoais. Ao andar com a mãe pelas ruas estreitas do mercado, Clint observava as pequenas lojas de ambos os lados e uma vez deparou-se com um vigoroso açougueiro realizando sua carnificina. Ao chegar em casa, ele o desenhou como um porco.

Edmund Thomas Clint - O porco açougueiro.

Certo dia, depois de desenhar cemitérios e cruzes, Clint pediu à mãe que lesse para ele a passagem bíblica da ressurreição de Cristo. Depois, disse apenas: “Agora vou dormir. Não me chame. Se chamar pode ser que eu não acorde. Mamãe, não fique triste. Mamãe, não chore.” Logo ele sofreu uma misteriosa convulsão.

Aos seis anos e 11 meses de idade Clint morreu atacado por um mal renal jamais explicado pelos médicos que o trataram. Em sua vida breve, de maio de 1976 a abril de 1983, Clint fez 25 mil desenhos e pinturas. Ou seja, 25 mil desenhos e pinturas em apenas 2.522 dias de vida. Ninguém de sua família tinha inclinação para as artes. Seu talento é um enigma.

O cineasta inglês de origem indiana Shiva Kumar entrevistou os pais de Clint e os médicos que o trataram no documentário Clint (Clint, 1994), premiado como Melhor Filme no Festival de Cinema de Teerã e aclamado em festivais de cinema na Índia, no Brasil e no Japão, mas infelizmente até hoje nunca lançado em DVD. Um clipe sobre a vida e a obra de E.T.  Clint pode ser visto aqui:

SHIVA KUMAR

Nascido em Nova Delhi e educado na Inglaterra, Egito, Índia e EUA, Shiva Kumar formou-se no Instituto de Cinema de Pune. Dirigiu filmes institucionais e para uma multinacional. Fez dois documentários intitulados Years of Progress. Seus filmes foram exibidos nas redes PBS, The Disney Channel, BBC, Israeli Cable, Canal Plus, RAI e NHK.

Shiva traz em suas produções uma perspectiva global. Procura sempre para contar uma história única. Aperfeiçoou a arte de ouvir e perguntar até chegar ao núcleo de uma história única e comunicá-la com estilo e elegância. Sua perspectiva vem de sua formação diversificada como ator, apresentador de TV e repórter, sua cultura global e conhecimento apurado de cinematografia, iluminação, emergentes tecnologias HD e 4K e design de produção de vanguarda.

Filmografia parcial

Clint (Clint, 1994, 122’, cor, doc). Direção, Roteiro, Edição: Shiva Kumar. Fotografia: Madhu Ambat. Música: Pandit Raghunath Seth. Cenografia, Figurino: Nill. Som: K. S. Ravi.

Hitler’s Courts: Betrayal of the Rule of Law in Nazi Germany (Inglaterra, 2005, 35’, doc). Produção: PBS. O filme mostra a fragilidade da democracia, contando a história de sua degradação na Alemanha a partir da visão de advogados, juízes e professores de direito, que viram como sua nação governada pela Constituição foi derrubada pela retórica de Hitler.

Blessed Are the Peacemakers. Produção: World Council of Religions for Peace (WCRP).

Living Yoga: The Life and Teachings of Swami Satchidananda. Swami Satchidananda foi um dos primeiros mestres de Yoga a popularizar a tradição clássica da Yoga e sua filosofia no Ocidente. Seu papel no nascimento do movimento moderno da Yoga e seu impacto no mundo é narrada neste  documentário que informa, diverte e provoca.

Bibliografia

EDMUND THOMAS CLINT. Site: http://edmundthomasclint.com/

KEA, Basheer. Clint: Short Life of a Gifted Child.

NAIR, Ammu. A Brief Hour of Beauty.

2 Respostas to “O MISTÉRIO DE E.T. CLINT (1976-1983)”

  1. Aluizio Amorim 04/04/2015 às 01:35 #

    Excelente texto. Como sempre. Essa história eu desconhecia. Muito interessante e misteriosa.
    Forte abraço

    • Luiz Nazario 04/04/2015 às 08:52 #

      Grato, Aluizio Amorim. Boa Páscoa!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: