DA TEORIA DO DOMÍNIO DO FATO AOS FACTÓIDES DA MÍDIA ALINHADA

16 nov

Claus Roxin: manipulado no Brasil como uma marionete.

O PT caracterizou a Teoria do Domínio do Fato utilizada pelo STF para condenar o Núcleo Político do esquema do Mensalão como uma espécie de fraude ilegal superada, pois associada ao Nazismo e à Guerra Fria: “O STF deu estatuto legal a uma teoria nascida na Alemanha nazista, em 1939, atualizada em 1963 em plena Guerra Fria e considerada superada por diversos juristas.”

Ora, a Teoria do Domínio do Fato é, segundo o especialista Róger Augusto Fragata Tojeiro Morcelli, dominante na doutrina alemã atual e adotada por vários juristas na Europa. Difamando essa Teoria, o PT pretende resgatar o moral dos companheiros mensaleiros, convertendo o crime de corrupção em ideal revolucionário, praticado corajosamente pelos petistas, “vitimas” de uma suposta perseguição política de fundo nazista e macarthista. Curiosamente, a maioria dos atuais Juízes do STF foi nomeada por Lula e Dilma.

Segundo outro especialista, Guilherme Guimarães Feliciano, a Teoria do Domínio do Fato teria, sim, nascido na Alemanha de 1939. Contudo, ele logo em seguida esclarece que “antes de Claus Roxin […] não havia propriamente uma teoria, senão um cipoal de postulados de conteúdos amiúde contraditórios e raquíticos, que seriam sistematizados pelo catedrático de Munique”. Quando se deu então o verdadeiro nascimento da Teoria do Domínio do Fato? É o próprio Roxin quem revela sua gênese e motivação:

“A Teoria do Domínio do Fato não foi criada por mim, mas fui eu quem a desenvolveu em todos os seus detalhes na década de 1960 […]. Minha motivação foram os crimes cometidos à época do nacional-socialismo. A jurisprudência alemã costumava condenar como partícipes os que haviam cometido delitos pelas próprias mãos — por exemplo, o disparo contra judeus —, enquanto sempre achei que, ao praticar um delito diretamente, o indivíduo deveria ser responsabilizado como autor. E quem ocupa uma posição dentro de um aparato organizado de poder e dá o comando para que se execute a ação criminosa também deve responder como autor, e não como mero partícipe, como rezava a doutrina da época. De início, a jurisprudência alemã ignorou a teoria, que, no entanto, foi cada vez mais aceita pela literatura jurídica. Ao longo do tempo, grandes êxitos foram obtidos, sobretudo na América do Sul, onde a teoria foi aplicada com sucesso no processo contra a junta militar argentina do governo Rafael Videla, considerando seus integrantes autores, assim como na responsabilização do ex-presidente peruano Alberto Fujimori por diversos crimes cometidos durante seu governo. Posteriormente, o Bundesgerichtshof também adotou a teoria para julgar os casos de crimes na Alemanha Oriental, especialmente as ordens para disparar contra aqueles que tentassem fugir para a Alemanha Ocidental atravessando a fronteira entre os dois países. A teoria também foi adotada pelo Tribunal Penal Internacional e consta em seu estatuto.”

A declaração aplica-se perfeitamente ao caso do Mensalão. Mas ao mesmo tempo em que o PT condena a Teoria de Roxin, associando-a, de modo perverso e contra a verdade histórica, a uma “herança” do Nazismo e da Guerra Fria (quando ela foi sistematizada por Roxin justamente para condenar as autoridades nazistas que ordenavam, de seus gabinetes, todos os crimes), o próximo passo anunciado pelos advogados de José Dirceu é procurar Roxin a fim de obter dele um parecer jurídico favorável ao “inocente” ex-ministro!

Essas patacoadas se banalizaram após uma matéria tendenciosa das repórteres Cristina Grillo e Denise Menche, da Folha, reproduzida em milhares de blogs vermelhos. A matéria distorceu a entrevista concedida por Roxin com a manchete: PARTICIPAÇÃO NO COMANDO DO MENSALÃO TEM DE SER PROVADA, DIZ JURISTA. Roxin nunca disse isso, basta ler a matéria com atenção. Logo o Blog Advivo reproduziu a matéria agravando a manchete mentirosa: TEÓRICO DO DOMÍNIO DO FATO REPREENDE STF. Roxin nunca repreendeu o STF. No Blog Conversa Afiada outras palavras jamais pronunciadas por Roxin foram inescrupulosamente colocadas em sua boca: ROXIN AO SUPREMO: VOCÊS NÃO ENTENDERAM NADA! Roxin nunca exclamou tal barbaridade. O Blog Viomundo também reproduziu a reportagem da Folha agregando a manchete: JURISTA ALEMÃO ADVERTE SOBRE O MAU USO DE SUA “TEORIA DO DOMÍNIO DO FATO”. Como sob essa manchete vinha a manchete da Folha – PARTICIPAÇÃO NO COMANDO DO MENSALÃO TEM DE SER PROVADA, DIZ JURISTA – a montagem sugeria que a advertência de Roxin era dirigida ao STF, pelo “mau uso” de sua Teoria do Domínio do Fato. Ora, Roxin nunca advertiu o STF…

Após a “grande repercussão da sua entrevista” à Folha, isto é, à repercussão causada pela manipulação de suas declarações genéricas por jornalistas inescrupulosos, de modo a dar a entender aos leitores ingênuos que o jurista alemão estaria a comentar o julgamento do mensalão e a repreender o STF, Roxin fez questão de esclarecer ao repórter Luciano Alarcon, em novo depoimento à Folha, que suas declarações “foram observações jurídicas gerais”, não se referindo ao julgamento do mensalão, que ele não conhecia “com detalhes”, recusando-se a comentá-lo. Espantosamente, nessa mesma reportagem, o depoimento de Roxin foi novamente deturpado pelo jornal, que estampou a seguinte manchete: JURISTA ALEMÃO MOSTRA INTERESSE EM ASSESSORAR DEFESA DE DIRCEU. Lê-se no corpo do texto: “Claus Roxin confirmou à Folha que foi procurado por pessoas próximas ao ex-ministro José Dirceu. A defesa do petista espera um parecer jurídico do professor alemão […]. Roxin demonstrou interesse no caso […]”. Ora, ser procurado por pessoas próximas a Dirceu e demonstrar interesse no caso não é o mesmo que “mostrar interesse em assessorar a defesa de Dirceu”.

Resumo da ópera: para a marionete chamada Roxin que as mídias manipuladoras criaram para seu uso e abuso, a Teoria do Domínio do Fato teria sido manipulada pelo STF contra Dirceu, que pretende paradoxalmente recorrer, em sua defesa, ao autor dessa Teoria que o PT desqualificou como “superada”, tendo sido criada durante o Nazismo e renovada durante a Guerra Fria. Por seu lado, o Roxin de carne e osso, que não leu as 50 mil páginas do processo, e não conhece, portanto, os “detalhes” contidos nessas poucas páginas, nada comentou sobre o STF e o julgamento do Mensalão. Isso não impediu os jornalistas manipuladores de apresentá-lo como um crítico do STF interessado em assessorar a defesa de Dirceu. Os petistas querem convencer o mundo de que o processo em pauta carece de provas contra o “inocente” Dirceu, como se apenas ordens assinadas constituíssem provas, sem considerar depoimentos corroborados. Ao criticar genericamente incriminações sem provas em resposta a perguntas viciadas, Roxin caiu como um patinho nas pegadinhas desonestas que se tornaram corriqueiras em certos meios brasileiros.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: